quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Provérbio da semana

 

Os homens não se medem aos palmos; os deuses de fertilidade medem-se ao metro... pelo menos os apêndices corporais...



O deus Priapo num fresco nas ruinas de Pompeia. Amanhã vou ao Museu de História Antiga em Estocolmo, onde poderei ver uma imagem do Freyr, divindade predilecta aqui do je e outra a quem o provérbio se pode aplicar (como os meus amigos e os meus pais muito bem sabem). Aliás, que se escreva outro:

Os homens sofrem de peso na consicência; os deuses de fertilidade têm outro com que se preocupar...

Esta entrada vai diretinha para uma nova secção deste blogue - Sátira Religiosa - já disponível na coluna da esquerda, mesmo debaixo doutra chamada Pagão por cá. Porque fazer humor a partir de crenças religiosas só ofende quem quer ou, para dar livre uso a uma expressão popular, a carapuça só lhes serve se quiserem... e não, não vou usar esta frase para produzir outra piada a respeito de divindades "dotadas", lol.

5 Comments:

Anonymous Miguel disse...

O.o lol a frase inicial está muito bem feita.. tendo em conta a imagem.
Ainda por cima nas ruínas de Pompeia.. será que temos uma nova versão para o que se passou na Pompeia? :p É um caso a reflectir..
Olha, também gostava de visitar esse museu... hum, inveja :(
Um abraço:)ptt bem

4:20 da manhã  
Blogger Rita disse...

não te eskeças de meter essa da carapuça na nossa lista de expressões populares portuguesas a serem trazudidas brevemente! beijinhos**:)

8:52 da manhã  
Blogger Inês Subtil disse...

Hey chico! Já cá faltava a "vozinha do questionável"... enfim.

Devo começar por te dizer que a questão das caricaturas na imprensa é um pouco mais complexa do que isso.

As caricaturas e toda a polémica, que entretanto se tem gerado em volta do assunto, merecem que nos questionemos: Liberdade de expressão - direito ou dever?
Em primeiro lugar, e indo de encontro ao que, na minha opinião, é o ponto central: uma B.D. é, num jornal ou em qualquer outro registo da imprensa, um artigo de opinião. Ou seja, a liberdade de criação de quem o faz é máxima, só depende das suas intenções e do que efectivamente quer comunicar. É, por isso, que os cartoonistas sempre tiveram, na generalidade dos casos (Países Ocidentais), o direito de se expressarem com toda a liberdade. Apesar disso, uma B.D. também parte do conteúdo de um meio de comunicação. Um meio que, como todos sabemos, nos molda em diferentes aspectos e pontos de vista, num processo incrivelmente obscuro e inconsciente! uuuuuuu (não levem é para levarem tão a sério!)
Por outro lado, e tendo em conta a conjunctura em que o mundo se encontra, nomeadamente a já apelidada "Guerra entre Ocidente e Mundo Árabe", aquilo que é publicado deve tentar ser coerente e exige, acima de tudo, bom senso. Desta forma, questiono se a liberdade de expressão, neste caso em particular, também não deverá ser vista como uma demonstração da já velha conhecida "insensatez humana". As repercursões já todos as sabemos. Mas será que as manifestações, que entretanto têm havido, não serão mais uma desculpa para velhas polémicas que parecem não ter fim?
Quanto à parte do direito? Sim, concordo. Considero que a liberdade de expressão é um direito e que também eles (países e crentes muçulmanos) têm todo o direito de ripostar aquilo que acreditam ser uma ofensa (mais concretamente a religião católica). Aliás, sempre o poderam fazer. Só acho que, igualmente, cabe-nos a nós saber ser razoáveis e ter bom senso para com povos que, na generalidade dos casos são povos que ainda lutam por diferentes Liberdades, e fazer a nossa parte no jogo. A discussão já existe, o conflito também, a mentira, a ofensa, a ausência de qualquer respeito pelo próximo. Além disso, são realidades diferentes, neste sentido são até mundos diferentes. É fundamental conhecê-los, tentar compreendê-los e depois, sim, fundamentar uma opinião.
Como tal considero todas as guerras estúpidas, também não era preciso ser um génio para se chegar a conclusões semelhantes. Nesta guerra que já começou - quem não o vê, é ceguinho - há sempre dois caminhos que se podem seguir: escolher um lado na batalha ou fugir... É decisão que tem de ser tomada.


Vá, vou indo que isto já foi de mais.
Beijinhos grandes e xuxos para o menino português na suécia.

*** I

7:55 da tarde  
Blogger Inês Subtil disse...

LOL... enganei-me no sítio. bem, não interessa.

8:02 da tarde  
Blogger Heliocoptero disse...

Sim, já cá faltava a voz do questionável, lol :p

Imaginemos que o Vaticano decidia decretar como dogma a representação de Jesus como tendo barba e cabelo comprido. Quer isso dizer que, com base no bom senso ou no não querer ofender os outros, vamos evitar publicar imagens ou caricaturas que representem o homem de outro modo?

Um desenho do Maomé ofende muitos no mundo muçulmano? O mesmo se poderia em relação ao comermos carne de porco, não termos a sexta-feira como dia santo, as mulheres não usarem véu ou usarem mini-saia, sexo antes do casamento, homossexualidade, beber álcool, ir ao cinema... vamos evitar fazer ou viver estas e outras coisas publicamente?

A liberdade de expressão e toda a sociedade ocidental de um modo geral não pode nem deve ser regida por dogmas religiosos.

8:32 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home